Conexão Tocantins Araguaína

Estado

28/05/2013 - Redação

Foto: Divulgação Segundo Ronaldo Dimas, medidas que cabiam ao município foram tomadas para conter a volência Segundo Ronaldo Dimas, medidas que cabiam ao município foram tomadas para conter a volência

O prefeito de Araguaina, Ronaldo Dimas (PR), juntamente com representantes dos órgãos de segurança pública, entidades de classe e comércio da cidade, assinou um manifesto devido à onda de violência sofrida pela cidade nas últimas semanas e a falta de ações efetivas do executivo e judiciário estadual e do governo federal para conter a criminalidade, segundo a informa a assessoria de comunicação da Prefeitura de Araguaina. A decisão partiu depois da última reunião realizada no dia 24 de maio, que resultou em alterações no decreto que regulamenta o horário de funcionamento de bares e restaurantes.

“Tomamos algumas medidas que cabiam ao município. Mas a segurança pública é responsabilidade do Estado e da União também. Não conseguiremos resolver a situação sozinhos”, explica Ronaldo. 

Reivindicações 

O manifesto expressa a insatisfação unânime das instituições em relação ao reduzido contingente policial das forças civil, militar, federal e rodoviária federal. A estrutura do Poder Judiciário também foi questionada. “Araguaína chega a ter menos varas do que comarcas menores que o município”, lembrou um dos representantes do judiciário presente na reunião. Há problemas com a estrutura física dos prédios que abrigam as varas e carência de recursos humanos. “Muitas vezes, o funcionamento da Justiça depende de favores do Poder Executivo do Município”, revela o prefeito.

O Governo do Estado também foi cobrado. Os signatários do manifesto consideram paliativo o deslocamento de policiais para a cidade. “Estas ações são transitórias, porque uma hora estes policiais retornarão para seus batalhões de origem. Precisamos de medidas definitivas”, solicita o prefeito.

O sistema penitenciário também foi alvo de muitas críticas. O manifesto solicitou a ampliação do sistema com a conclusão da reforma da Casa de Prisão Provisória de Araguaína, que deveria ser entregue em novembro do ano passado, e o aumento no número de celas do presídio Barra da Grota. 

Fórum de Segurança 

Ficou definido na reunião que será criado, em caráter permanente, o Fórum de Segurança de Araguaína, composto pelos representantes dos órgãos de segurança pública, entidades de classe, comunidade, poder municipal e demais convidados. O objetivo é propor medidas para prevenir e resguardar a segurança da população araguainense. “Mesmo com a diminuição dos índices de violência, é preciso ficar vigilante sobre o assunto o tempo todo. Não podemos deixar a cidade refém de qualquer tipo de violência”, conclui Ronaldo.