Conexão Tocantins Araguaína

Economia

11/01/2013 - Redação

Foto: Divulgação

Aconteceu nesta sexta-feira, 11 de janeiro, em uma das unidades do Sistema Fecomércio Sesc/Senac (Teatro Sesc de Palmas), às 10h, uma reunião entre empresários, entidades representativas e governo estadual, para esclarecimento acerca das mudanças nas leis estaduais 1.201/2000 e 1.790/2007 que atingem diretamente os empresários atacadistas do Estado. Além de mostrar o funcionamento dessas novas tributações, o encontro permitiu também uma discussão sobre o impacto dessas leis no comércio e economia do Estado.

Participaram da reunião o secretário estadual da fazenda, José Jamil Fernandes Martins, o secretário estadual de indústria e comércio, Paulo Massuia, o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, o presidente do Sistema Fecomércio Sesc/Senac, Hugo de Carvalho, o presidente da Faciet, Pedro Ferreira, o presidente da Adat, Luiz Antonio Lopes, presidente da CDL Palmas, Cleide Brandão, presidente da Acipa, Fabiano do Vale, presidente da Aciara, Antonia Lopes,  técnicos da Sefaz, assessores jurídicos e empresários das cidades de Araguaína, Palmas e Paraíso do Tocantins.

As mudanças nas leis que tratam do crédito e incentivo fiscal no Estado e que entraram em vigor no último dia 1º de janeiro foram debatidas pelos presentes. Os empresários buscam alternativas para a tributação imposta pelo governo, alegando uma possível não competitividade juntos as grandes redes nacionais. As alterações feitas nas leis foram votadas e aprovadas nos dias 19 e 21 de dezembro de 2012, durante o início do período de recesso de diversas entidades.  

O presidente da Fecomércio, Hugo de Carvalho, entende que a participação das entidades é fundamental nesse processo. “Nós estamos com as portas abertas sempre que necessário aos empresários, para a discussão de assuntos que interferem na rotina e no funcionamento do comércio. A Fecomércio, assim como as demais entidades, representam os empresários e por isso devemos estimular esse tipo de encontro. A intenção do evento é justamente estabelecer um dialogo junto à esfera pública para que ambas as partes possam expor suas realidades”, explicou.

Cerca de 80 pessoas participaram desse evento. Durante a reunião, ainda foi lavrada uma ata onde constam todas as reivindicações dos empresários e que será encaminhada a Secretaria da Fazenda na próxima segunda-feira,14, para análise, junto com o ofício solicitando a resposta das solicitações. O secretário da fazenda se comprometeu a responder rapidamente o documento.