Conexão Tocantins Araguaína

Estado

26/09/2012 - Redação

Com o propósito de contribuir para o desenvolvimento sustentável de municípios brasileiros e a geração de renda para população de baixa renda, a partir do fomento de cadeias produtivas locais, o Programa ReDes apresenta os quatro projetos selecionados para o Território Bico do Papagaio (TO) – municípios de Araguaína e Xambioá –, que receberão investimento de R$ 3,77 milhões, ao longo de três anos, para beneficiar 359 pessoas.

“Desde o início, focamos no apoio a projetos de longo prazo que aproveitassem oportunidades de desenvolvimento econômico local para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Sabemos que a geração de trabalho e renda será potencializada com realização de boas parcerias e estamos trabalhando para que essas parcerias se perenizem e se multipliquem, impulsionando o desenvolvimento local”, explica Rafael Gioielli, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento do Instituto Votorantim.

A parceria entre o Instituto Votorantim e o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) foi firmada no final de 2010 e tem prazo de realização previsto para cinco anos. A primeira fase do programa, que ocorreu no ano passado, realizou o diagnóstico socioeconômico dos 25 municípios participantes. Com base neste levantamento, que identificou as potencialidades produtivas locais, foram definidas cinco linhas de ação para o programa: Abastecimento Alimentar, Comércio e Serviços, Economia Criativa, Reciclagem e Turismo. Estas linhas visam unificar estratégias e buscar resultados mais assertivos e alinhados ao objetivo do programa.

Seleção dos projetos

Na segunda fase do programa, as propostas apresentadas passaram pela análise dos conselhos comunitários locais, Instituto Votorantim, BNDES, além de uma equipe de avaliadores externos, e tiverem sua viabilidade social e financeira verificadas. Foram levados em consideração os aspectos legais e formais, a capacidade gerencial da organização, a avaliação de mercado e processos, a clareza do projeto, aspectos orçamentários e a capacidade de fomentar o desenvolvimento regional.

Foram selecionados, ao todo, 45 projetos, nos quais serão aplicados R$ 33 milhões no total.

“Entramos agora na terceira fase do ReDes, que consistirá no aporte dos recursos e no apoio técnico de consultorias especializadas em gestão de negócios para colocar em prática as atividades propostas pelos projetos e viabilizar os resultados esperados. Queremos gerar trabalho e renda para todo o público beneficiado, cerca 4.100 pessoas, contribuindo assim para a conquista da autonomia nos negócios empreendidos”, complementa Gioielli.

Para alcançar tal conquista, será fundamental obter os licenciamentos necessários, planejar o escoamento da produção e a comercialização dos produtos e, por fim, estruturar a governança corporativa de cada estabelecimento.

Conselhos Comunitários locais

Nessa fase, também serão fortalecidas as instâncias participativas (conselhos comunitários) de cada município, criadas com o intuito de dar legitimidade, potencializar e favorecer o processo de crescimento socioeconômico das regiões. A partir dessa articulação, será possível construir uma visão de futuro, tendo em vista os planos de ação com visão de longo prazo e o engajamento das comunidades apoiadas pelo ReDes.

Projetos Território Bico do Papagaio (TO)

Araguaína

              § Projeto: “Comunidade Empreendedora”

Organização executora: Centro de Direitos Humanos de Araguaína

Linha de Ação: Comércio e Serviços

Objetivo: Cooperativa do ramo de confecção e serigrafia com foco em moda praia para garantir a inclusão socioeconômica de jovens e mulheres, criando, no futuro, outras unidades coletivas de produção em parceria com novos centros comunitários. 

Xambioá

§ Projeto: “Inclusão Socioprodutiva de Mulheres na Ecosol”

Organização executora:Cooperativa Multifuncional de Economia Solidária

Linha de Ação: Comércio e Serviços

Objetivo: Promover a inclusão socioprodutiva de mulheres assentadas, nos moldes da economia solidária, por meio da produção de produtos oriundos da cadeia de babaçu (óleo, sabão, sabonete, cestaria, acessórios e decoração).

§ Projeto: “Renascer”

Organização executora: Colônia de Pescadores do Estado do Tocantins

Linha de Ação: Abastecimento Alimentar

Objetivo: Incrementar os processos de piscicultura desenvolvidos na região de Xambioá a partir da implantação de tanques-rede, central de beneficiamento do pescado e oficina de curtimento da pele do peixe produzido, com o intuito de gerar renda complementar aos pescadores associados à Colônia de Pescadores do Estado do Tocantins.

 § Projeto: “XambiArt – Oficina de Biojoias”

Organização executora: Associação de Moradores de Alto Bonito

Linha de Ação: Economia Criativa

Objetivo: Realizar a qualificação profissional de mulheres moradoras de Alto Bonito para a produção de biojoias, e criar uma oficina comunitária para produção em grande escala para atender o mercado atacadista da região Sul e Sudeste.  

ReDes para o desenvolvimento 

Os 25 municípios brasileiros participantes do Programa ReDes estão agrupados em 10 territórios e situados nos seguintes Estados: Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Goiás, Tocantins e Sergipe. 

O Programa compreende uma série de etapas – do diagnóstico socioeconômico ao financiamento de projetos que visem a geração de trabalho e renda -, valorizando sempre o trabalho em rede, com a articulação do capital social e produtivo local. 

Em 2011, o ReDes focou na realização de diagnósticos locais, para entender a dinâmica socioeconômica dos municípios e obter conhecimento sobre a realidade e as necessidades dessas comunidades. Também fez parte desse processo, a mobilização de agentes locais para consolidação dos conselhos comunitários (instâncias participativas formadas por representantes do poder público, empresariado local e sociedade civil), que são responsáveis pelo acompanhamento das ações previstas no Programa.

Confira os passos do programa ao longo dos cinco anos:

1. Análise de dados locais, entrevistas com a comunidade e produção de diagnóstico socioeconômico.

2. Avaliação das potencialidades produtivas dos municípios.

3. Formação de instância participativa ou apoio a conselho comunitário local - com representação dos setores público, privado e sociedade civil.

4. Desenvolvimento de projetos conforme potenciais produtivos identificados.

5. Seleção de projetos que visem a geração de trabalho e renda.  

6. Implantação, monitoramento e avaliação dos projetos selecionados.

Para saber mais sobre o programa, acesse:  http://www.programaredes.org.br

Sobre o Instituto Votorantim

O Instituto Votorantim foi criado em 2002 com o objetivo de qualificar o investimento social do Grupo Votorantim. Sua criação veio fortalecer sinergias entre as empresas, além de identificar e aproveitar oportunidades de gerar valor para a sociedade.

O Grupo está presente em mais de 300 municípios em todo o Brasil e o Instituto Votorantim desenvolve um trabalho focado no desenvolvimento local sustentável das comunidades com as quais a empresa se relaciona.

O Instituto Votorantim acredita, também, que o jovem é a principal força transformadora da sociedade e, por este motivo, concentra seus esforços em programas voltados para a juventude nos campos de educação, trabalho, cultura, esporte, e preservação e fortalecimento de direitos infanto-juvenis. Saiba mais em: http://www.institutovotorantim.org.br