Conexão Tocantins Araguaína

Estado

25/01/2012 - Redação

Como parte da programação alusiva ao Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, comemorado em 28 de janeiro, será apresentado em Palmas, dia 30, e Araguaina, 31, o espetáculo musical “Quilombagem”, encenado pelo grupo de teatro do Centro de Vida e Direitos Humanos de Açailândia (MA). A programação faz parte de uma agenda nacional que reúne nove estados brasileiros.

Em Palmas, o evento será realizado no auditório Cuíca, na UFT – Universidade Federal do Tocantins, a partir das 19 horas. Já em Araguaina a apresentação acontece na Faculdade Católica, também às 19 horas. A entrada é gratuita. Dentro da programação uma exposição fotográfica que mostra flagras de trabalhadores em situação de escravidão, com imagens que integram o acervo da CNBB - Confederação Nacional dos Bispos do Brasil.

O musical “Quilombagem” é protagonizado por 17 jovens artistas que possuem ligação com a problemática do trabalho escravo. O espetáculo é dividido em dois atos. No primeiro, será percorrida toda a história da escravidão no Brasil. No segundo, será feito um paralelo entre a história e a situação dos dias atuais. A intenção é incentivar ações que culminem na erradicação do trabalho escravo no Estado.

A presidente do Coetrae - Conselho de Erradicação do Trabalho Escravo do Tocantins, órgão vinculado à Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos, Leonídia Batista Coelho, explicou que cada estado foi responsável propor a sua programação a nível nacional. “Nossa intenção foi propor algo mais leve, tratando do tema de forma interativa”, disse ela.

Contexto
Segundo dados do Coetrae, atualmente o Tocantins ocupa o 5° lugar no ranking brasileiro do trabalho análogo a escravidão. “Isso pra gente é uma vitória muito grande, pois nós já ocupamos a segunda colocação e melhoramos por causa de nossos esforços em realizar um trabalho preventivo”, explicou a presidente. De acordo com Leonídia, o Estado foi um dos primeiros do país a discutir e traçar metas de combate.

O Coetrae foi criado em 2007 com o objetivo de reunir integrantes do governo e da sociedade civil com a intenção de discutir e traçar metas que contribuam com a erradicação do trabalho escravo. Atualmente o órgão também trabalha na prevenção ao problema.

Dia Nacional
O Dia Nacional de Combate ao Trabalho escravo foi instituído em 2004. A data, 28 de janeiro, faz alusão ao assassinato dos auditores do trabalho Eratóstenes de Almeida Gonçalves, João Batista Soares Lage e Nelson José da Silva, e do motorista Ailton Pereira de Oliveira, mortos nesta data na cidade de Unaí, Minas Gerais, durante fiscalização em uma propriedade com indícios da prática de trabalho escravo.

Programação
Dia 30 - Palmas (TO)
Palestra de Membros da Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae) e apresentação da peça teatral Quilombagem.

Dia 31- Araguaina (TO)
Palestra de Membros da Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae) e apresentação da peça teatral Quilombagem. (Secom)