Conexão Tocantins Araguaína

Polí­cia

23/09/2011 - Redação

Na manhã da última quinta-feira, 22, agentes da Delegacia Especializada em Investigações Criminais – DEIC/Norte de Araguaína, sob o comando dos delegados Guido Camilo e José Anchieta, deram cumprimento aos mandados de prisão preventivos, expedidos pela 2ª Vara criminal e Execuções Penais, em desfavor de Gleison da Silva Tavares, ex-diretor da cooperativa de mototaxistas de Araguaína e Ivan Pereira de Jesus, acusados do homicídio de Renan da Silva Araújo, crime cometido em Julho de 2009.

De acordo com informações prestadas pelos delegados responsáveis pelo caso, os acusados já haviam sido presos esse ano, mas pagaram fiança e ganharam o direito de responder ao processo em liberdade. No entanto, a partir de novas investigações conduzidas pela DEIC, outros fatos surgiram e deram sustentação ao pedido de prisão preventiva expedido pela justiça.

A partir de uma denúncia anônima, a Polícia Civil localizou em poder de um dos acusados um revólver calibre 38. Após exames balísticos realizados na arma apreendida, constatou-se que a mesma havia sido usada no assassinato de Renan há pouco mais de dois anos.

Gleison e Ivan foram conduzidos à Deic para os procedimentos cabíveis. Em seguida realizaram exame de corpo delito no IML e, posteriormente foram conduzidos a CPPA- Casa de Prisão Provisória de Araguaína, onde permanecem à disposição da justiça.

Entenda o caso

Segundo apurações realizadas pela Polícia Civil, o crime aconteceu em Julho de 2009 e o motivo teria sido uma disputa interna por poder dentro da cooperativa dos moto-taxistas de Araguaína. Naquela época, Gleison era diretor da cooperativa e existiam inúmeras divergências entre ele e a vítima, as quais foram aumentando e culminaram no assassinato de Renan. (Ascom SSP)