Conexão Tocantins Araguaína

Estado

05/05/2011 - Maria José Cotrim

Foto: Divulgação

Uma das principais bandeiras elencadas pelo governador Siqueira Campos (PSDB) ainda na campanha foi o combate à fome e à miséria no Estado. De acordo com os dados 16 % passam fome no Estado.

Nesses cinco meses de governo a principal ação desenvolvida pelo governo nesse sentido é a entrega de cestas básicas, ação emergencial que faz parte do programa ‘Tocantins sem Fome” coordenador pela Setas. O programa tem como meta entregar mais de 130 mil cestas básicas em todos os municípios.

A entrega de cestas porém tem causado polêmica em alguns municípios já que alguns aliados do governo que tem pretensões políticas no próximo ano querem de uma certa maneira participar da entrega.

Em Palmeirópolis por exemplo uma fonte que não quis se identificar salientou que u certo mal estar aconteceu em razão da entrega das cestas. Apenas um grupo ligado ao governo queria fazer a entrega das cestas.

O secretário de Desenvolvimento Social, Agimiro Dias, negou qualquer envolvimento de questões políticas nas entregas das cestas. “Não permitimos usar cestas para fazer política. Alguns líderes não entendem isso”, admitiu.

Agimiro frisou ainda que quem distribui as cestas são associações que foram cadastradas na setas e lideranças comunitárias dos municípios.

Em Araguaina, Agimiro que é um dos nomes cotados para disputar a prefeitura no próximo ano esclareceu que esteve presente na entrega das cestas mas que não efetuou distribuição mesmo não tendo declarado ter reais pretensões de disputar o Paço municipal.

“Sabemos que a cesta é só o começo, nossa luta contra a miséria será persistente, nosso trabalho será incessante como determinou o governador”, frisou o secretário com relação à ação.

Em Palmas também o deputado Marcelo Lelis (PV) que é um dos nomes cotados para a disputa do próximo ano participou das entregas das cestas.

Outras ações

O secretário frisou que dentro do programa Tocantins Sem Fome outras ações serão desenvolvidas voltadas para a economia solidária, capacitação e geração de renda nos municípios. “Queremos combater a miséria, a cesta é só o essencial. Só combate a miséria se erradicar o analfabetismo, dar melhores condições de saúde e gerar renda”, salientou.

O governo está preocupado com essas políticas segundo o secretário. Durante o impasse para aprovação do orçamento estadual o secretário chegou a afirmar que as políticas e programas sociais não podiam ser desenvolvidos em razão da falta de orçamento.

As cestas básicas são custeadas apenas pelo Estado de recursos da fonte 00. Segundo a Setas, nos últimos dois anos conforme os dados cerca de 600 mil pessoas passaram fome no Estado configurando como o segundo com maior índice de insegurança alimentar. Abaixo da linha da pobreza estão 37% da população do Tocantins.

Foco

No foco das ações e políticas do governo voltadas á melhoria de vida da população e melhor distribuição de renda estão ainda segundo o secretário os quilombolas e indígenas do Estado.