Conexão Tocantins Araguaína

Economia

25/03/2011 - Redação

Foto: Thais Ramalho

A implantação da indústria SOTRIGO - Sociedade Tritícola de Goiás – no município de Araguaína foi discutida em reunião realizada na Secretaria da Indústria, Comércio e Turismo do Tocantins – SICTUR - na tarde da última quinta-feira, 24. Representantes da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins - Fieto, do Sindicato de Alimentos do Estado do Tocantins – SIA, da SICTUR e da Sotrigo participaram da reunião.

O Estado, através da SICTUR, estuda a viabilização da instalação da indústria no distrito industrial de Araguaina. O investimento prevê a industrialização de 150 toneladas de trigo e grãos de trigo, beneficiados em farinhas de trigo para o consumo doméstico e comercial.

Alexandre Moura, proprietário da Sotrigo, disse que a indústria, que possui sede em Anápolis-GO, já atendia o mercado do Tocantins e agora pretende maior aproximação com o comércio local. “Queremos criar elos com o estado do Tocantins. O Sistema Federação das Indústrias sempre me apoiou nos empreendimentos e não tenho dúvidas que não será diferente com o Sistema Fieto, que é a casa do empresário”, salienta.

O chefe de gabinete da presidência Jairo Mariano e o gerente José Roberto Fernandes representaram o Sistema Fieto e declararam apoio ao empresário. “O Sistema Fieto apoia todo investimento externo aqui no Tocantins. A geração de economia é uma das missões da instituição”, diz Fernandes.“A nossa participação se dá mediante o apoio ao empresário para implementar seu negócio aqui no estado”, completa Mariano.

A subsecretária da Indústria e Comércio e conselheira do Sistema Fieto, Leide Mota, disse que o projeto será analisado e que há grandes chances do estado receber o moinho de trigo. “O Tocantins sofre com a questão de ter que depender de outros estados para sustentar o comércio de trigo. Agora teremos matéria prima fresquinha. É um ganho muito grande para o Tocantins, pois gera emprego, renda e movimenta a economia do estado”, enfatiza a subsecretária.

A instalação da indústria, que possui um dos maiores moinhos de trigo do Centro Oeste pretende gerar 80 empregos diretos no primeiro momento e irá viabilizar o mercado regional e dos estados Pará, Maranhão e Piauí.

Matéria prima

De início, a indústria irá buscar matéria prima nos estados de Goiás, Minas Gerais e oeste da Bahia.O empresário Alexandre Moura disse ainda que pretende fazer um estudo para o incentivo da produção de trigo no Tocantins. “O perfil do empresariado tocantinense é empresa de pequeno a médio porte. Vamos oferecer o trigo às empresas de pães existentes no estado. No primeiro momento vamos buscar matéria prima em outros estados, depois vamos fazer um estudo e trabalho de incentivo da produção e comércio de trigo local”.

Previsão de instalação

Após análise do estado, cujo prazo não foi estipulado, a previsão é de que a indústria esteja instalada na cidade de Araguaína até 2012/2013, segundo afirmações do empresário Alexandre Moura.

Fonte: Assessoria de Imprensa Fieto