Conexão Tocantins Araguaína

Araguaína

27/07/2017 - Redação

Foto: Marcos Filho

No Dia do Motociclista, comemorado neste 27 de julho, a Agência de Segurança, Transporte e Trânsito (ASTT) de Araguaína orienta sobre os cuidados que o condutor deve ter tanto no uso dos equipamentos de segurança quando na manutenção do veículo. Em Araguaína, dados do Serviço Móvel de Urgência (SAMU/192) apontam que o número de acidentes envolvendo motos diminuiu, mas ainda contabiliza uma média de 80 por mês e são os que têm maior incidência no trânsito.

“Apesar da diminuição de acidentes, a ASTT alerta principalmente ao uso errado do capacete, que é a principal causa de traumas cranianos e consequentemente em muitos casos a morte de motociclistas. O capacete tem de estar totalmente fixado na cabeça e com a cinta jugular presa para evitar que saque em caso de acidente e com a viseira baixa, para evitar que cisco ou algum inseto prejudique a visão do condutor”, alertou o superintendente da ASTT, Sheldon Sá.

No primeiro quadrimestre de 2017, os acidentes com motociclistas somaram 328 em Araguaína. Foram 84 em janeiro, 72 em fevereiro, 74 em março e 98 em abril. No mesmo período do ano passado, 443 acidentes com motos foram registrados, sendo 115 em janeiro, 97 fevereiro, 121 março e 110 em abril.

De acordo com o superintendente, as intervenções realizadas pela Prefeitura e as orientações em Educação do Trânsito foram as responsáveis pela diminuição dos acidentes. “Estamos fazendo um trabalho nas ruas, com a implantação de sinalização nova e organização do trânsito, e também indo nas empresas e entidades educativas em que há muitos motociclistas e apresentando palestras com orientações e cuidados diretamente para eles”. 

Outros cuidados

O uso do calçado adequado pode evitar acidentes no trânsito. A manutenção do veículo também é muito importante. É o que afirma Sá, apontando que o proprietário da motocicleta deve ficar atento também ao desgaste dos pneus.

“O pneu deve estar em boas condições, não adianta querer economizar e comprar pneu riscado nem recapado, isso pode custar a vida do condutor. Ele também deve ficar atento ao conjunto coroa, corrente e pião da moto, que devem estar em bom estado e lubrificados”, apontou.

O superintendente ainda lembrou sobre o bom estado das partilhas de freios. “Essas devem estar bem ajustadas e com a manutenção em dia”, frisou.

Equipamentos não-obrigatórios

Sá também citou equipamentos cujo uso não é obrigatório para motociclistas convencionais pelo Código Brasileiro de Trânsito (CTB), mas que é essencial para a segurança do condutor, como o protetor de perna e a antena corta-pipa. “São equipamentos importantes para a moto, visto que podem evitar acidentes, no caso da antena corta-pipa, que é colocada no guidom; e o popular mata-cachorro, colocado no quadro da motocicleta, que tem o papel de proteger em caso de acidente as pernas do motociclista, evitando fraturas”.

Uso da seta

Outro ponto importante citado pelo superintendente da ASTT é o uso da seta no trânsito. Segundo ele, a seta é a forma do motociclista se comunicar com os outros condutores. “Se ela está com defeito ou não está sendo usada, isso mostra que o motociclista ou o motorista não está se comunicando, o que pode ocasionar acidentes. Por isso de acordo com o CTB, deixar de sinalizar com setas ou gestos convencionais de braço é considerada infração grave”, orientou Sá.

Transporte de crianças

Em motos, o transporte de crianças é liberado a partir dos sete anos de idade. No entanto, o superintendente alerta para uma ressalva feita no próprio CTB: “Por mais que a criança de sete anos ou mais possa ser transportada, ela precisa ter condições de cuidar da própria segurança. Por exemplo, mesmo a criança tendo 10 anos, mas se ela não conseguir manter-se segura no veículo, não pode ser transportada”.