Conexão Tocantins Araguaína

Araguaína

21/06/2016 - Redação

Foto: Divulgação

A Prefeitura de Araguaína, por meio da Secretaria da Saúde, participa da Oficina Nacional de Lançamento do Laboratório de Formação do Trabalhador de Saúde no Contexto da Microcefalia. O evento organizado pelo Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasens), em parceria com o Laboratório Johnson & Johnson, será nesta quinta-feira, 23, das 8h às 18 horas na sede do Ministério da Saúde, em Brasília.

“Participar da oficina será muito importante visto que, junto com outros profissionais vamos pensar em estratégias e fortalecer as ações de combate ao mosquito, que já estamos fazendo. Queremos estar munidos de informações sobre a microcefalia para repassar às famílias”, disse o secretário Jean Coutinho.

De acordo com o Conselho, o principal objetivo da oficina é a implementação de um programa para a qualificação de trabalhadores da saúde, visando, por meio de ações intersetoriais (saúde, assistência social e educação), a melhoria do cuidado às famílias e crianças no contexto do enfrentamento do vírus Zika e à microcefalia.

Participam da oficina o secretário da Saúde do Município, Jean Coutinho, a coordenadora do Programa de Combate à Dengue em Araguaína, Mariana Parente, e a enfermeira coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Hedisônia de Jesus Brilhante Costa.

Microcefalia

O Ministério da Saúde decretou situação de Emergência em Saúde Pública após o crescente número de casos de microcefalias, causado por infecção do vírus Zika. Surgiu também a necessidade da criação do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia (PNEM). Tudo sobre esse plano será explicado na oficina, em Brasília. Um dos objetivos do PNEM é o trabalho em conjunto entre estados e municípios, que deve intensificar ações de combate ao mosquito Aedes aegypti.

O fato de já terem estudos que comprovam o vírus Zika como causador da doença microcefalia vem preocupando as gestantes de todo o País. Em Araguaína, somente até maio de 2016, já foram registrados 19 notificações de casos suspeitos da doença, sendo que, desses, 11 foram descartados e oito ainda estão sendo investigados.