Conexão Tocantins Araguaína

Saúde

07/06/2016 - Redação

Foto: Marcos Filho

Soldados do Exército Brasileiro, da 23ª Brigada de Infantaria de Selva, de Marabá/PA e agentes de combate às endemias de Araguaína participam de capacitação nesta terça-feira, 7, às 14 horas, no auditório do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). A ação visa o enfrentamento ao Aedes Aegypti, transmissor da dengue, febre Chikungunya e vírus Zica, no município e antecede as visitas às residências fechadas e setores onde foram registrados mais focos.

De acordo com o superintendente municipal de Vigilância em Saúde, Eduardo de Freitas, após a capacitação, todos vão a campo para visitas em residências dos setores Sonhos Dourados e Jardim dos Ipês I e II. “O objetivo da capacitação é para que possamos atualizar juntos os números de casos de focos e traçarmos a rota. Também é uma forma dos soldados conhecer o trabalho de vigilância em saúde, que já está sendo feito no município”, destacou.

Os soldados devem ficar até sexta-feira, 10, as ações vão acontecer em setores da cidade, principalmente em residências fechadas e em setores onde foram registrados mais focos.

Parceria

Em abril, entre os dias 13 e 15, o Exército Brasileiro - batalhões Infantaria 50-Biz, de Imperatriz (MA), e 23ª Brigada de Infantaria de Selva, de Marabá (PA), e a Secretaria da Saúde levaram orientação para mais de 10 mil pessoas. Durante a ação, foram inspecionadas 4.919 imóveis, sete imóveis fechados e 62 pontos estratégicos, sendo eliminados 318 focos.

Ações

O combate ao aedes não para no município. Além das atividades em parceria com o Exército Brasileiro, as equipes de Vigilância em Saúde, do Centro de Controle de Zoonoses de Araguaína, realização palestras de Educação em Saúde, em escolas municipais, estaduais e outros órgãos parceiros, com apresentação de temas sobre doenças de forma dinâmica, utilizando fantoches.

 Município confecciona armadilhas, em parceria com a Comunidade Terapêutica Vida Nova, com distribuição para as famílias. Também está sendo feita borrifação com bombas especialmente em pontos estratégicos, onde foram encontrados mais focos de infestação do mosquito. 

Além disso, o trabalho de rotina foi intensificado nos setores com a força-tarefa dos agentes de combate a endemias e com os agentes comunitários de saúde.