Conexão Tocantins Araguaína

Araguaína

15/02/2016 - Redação

Foto: Divulgação

A Prefeitura de Araguaína, por meio da Secretaria da Saúde, vem realizado várias ações de combate, entre elas foi a participação no Dia Nacional de Mobilização e Combate ao Aedes, recomendado pelo Ministério da Saúde.  O combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, Zica vírus e Chikungunya, mobilizou várias cidades brasileiras no último sábado, 13. Em Araguaína, houve a distribuição de armadilhas, força-tarefa em imóveis em que os agentes de endemias encontram fechados durante a semana e vistorias em pontos estratégicos.

Pontos estratégicos

Os agentes de endemias visitaram pontos estratégicos na cidade, foram inspecionados 1037 imóveis e recuperadas 613 residências que durante a semana estavam fechadas. No Cemitério Público São Lázaro foram eliminados dois focos, naa Delegacia Especializada em Investigação Criminal (Deic), foram eliminados oito focos e, com os policiais da Polícia Militar (PM), a vistoria do 2º Batalhão resultou na eliminação de 12 focos. Na Casa de Prisão Provisória de Araguaína (CPPA), nenhum foco foi encontrado.

“Essa ação em conjunto é muito importante. Temos que estar todos juntos na luta contra o mosquito” destacou o secretário da Saúde, Jean Coutinho.

De acordo com a tenente coronel Patrícia Murussi Leite, comandante do 2º Batalhão, as ações continuarão e inspeções serão realizadas semanalmente nas companhias e pelotões. “Se encontrarmos focos, vamos imediatamente entrar em contato com a Secretaria da Saúde para enviar os agentes de endemias, para eliminar os criadouros. Os policiais contaram com palestras com informações sobre o mosquito”, explicou.

Distribuição de mosquitéricas

As equipes de Vigilância em Saúde orientaram famílias de como se proteger do mosquito na tenda montada na Praça das Bandeiras e distribuíram armadilhas, as mosquitéricas. Os cuidados para não deixar água parada, suja ou limpa, local ideal para a reprodução do Aedes, também fizeram parte das orientações.

Quem levou para casa uma das 379 armadilhas distribuídas na ação foi Luís Dias Ribeiro. Ele já contraiu dengue e sabe da importância de se cuidar. “Não quero pegar de novo a doença. Deixa a gente fraco e com muita dor no corpo. Vou levar uma armadilha para ajudar no combate”, disse.

Quem também já teve dengue foi a professora Alzira Pereira Andrade. “Eu e mais algumas pessoas da minha família contraíram a doença. Hoje, não deixo mais água parada e nem o quintal sujo por que sei do transtorno que é. Se todas as pessoas tiverem consciência e não deixarem vasilhas, latas e pneus a céu aberto, vamos vencer esse mosquito”, destacou.