Conexão Tocantins Araguaína

Estado

09/10/2014 - Redação

Foto: Divulgação Ana Paula teve a redação escolhida entre mais de 1.700 trabalhos inscritos Ana Paula teve a redação escolhida entre mais de 1.700 trabalhos inscritos

Já está definido o representante do Tocantins na edição de 2014 do programa Jovem Senador, que oportuniza aos estudantes do ensino médio das escolas públicas brasileiras conhecerem de perto o funcionamento do Poder Legislativo no País. A aluna selecionada pelo Tocantins foi Ana Paula Mendes de Oliveira Medrado, de Araguaína.

A estudante do Colégio Estadual Professora, Silvandira Sousa Lima cursa o 3º ano do ensino médio e participou pela primeira vez do concurso. “Fiquei mega feliz. Espero poder aproveitar bem essa oportunidade contribuindo para melhorar nosso Estado e nosso País”, disse a estudante.

A seleção foi realizada por meio de um concurso de redação com o tema “Se eu fosse Senador”. O título da redação da estudante tocantinense foi “Uma senadora operária”. Segundo ela, a motivação para tal escolha foi a necessidade de legítimos representantes da população pobre do Brasil no Senado. “Acho que se os senadores escolhidos forem verdadeiros operários, que conhecem de perto a pobreza e os anseios dos menos favorecidos será mais fácil legislar para acabar com a fome, a falta de moradia e outros problemas que afligem nosso País”, frisou Ana Paula.

De acordo com a coordenadora do programa no Tocantins, Márcia Ribeiro de Paula, este ano foram inscritas 1.758 redações e mais de quatro mil estudantes mobilizados nas escolas estaduais. “Este ano a participação no programa foi recorde. Tivemos um aumento bem expressivo em relação ao ano passado e isso se deve ao trabalho de divulgação feito pela Secretaria de Estado da Educação e Cultura junto às Diretorias Regionais de Gestão e Formação para que os estudantes pudessem participar”, ressaltou.  

O programa

A participação dos representantes de cada estado tem início no dia 18 de novembro, em Brasília. A legislatura terá duração de três dias, com direito à posse dos jovens senadores, eleição da mesa diretora, aprovação dos projetos e publicação no Diário do Senado Federal dos selecionados.

O projeto conta com o apoio do Ministério da Educação (MEC), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e das secretarias de Educação dos estados e do Distrito Federal. (Ascom Seduc)