Conexão Tocantins Araguaína

Saúde

20/03/2014 - Redação

Intensificar as ações de controle da hanseníase, visando à detecção precoce dos casos; além de combater o preconceito e a discriminação. Estes são os principais objetivos da Semana de Intensificação no Diagnóstico da Hanseníase, que será realizada no período de 24 a 26 de março, em Araguaína, e terá a participação da Carreta da Saúde Novartis Biociências S.A., estacionada no Espaço Agnaldo Borges Pinto.

Durante a Semana, na Carreta da Saúde vai realizar exames, por meio de consultas com um médico especialista; em casos positivos, o paciente vai receber na hora o medicamento para o tratamento no primeiro mês. Ressaltando que o medicamento é oferecido gratuitamente na rede pública.

Também serão realizadas palestras educativas e informativas, orientando a população sobre o que é a hanseníase, a sua prevenção e o seu diagnóstico, além de combater o preconceito.

Carreta

A Carreta da Saúde, um caminhão itinerante, possui cinco consultórios e um laboratório para atender a população das cidades por onde passa. É um projeto de cidadania corporativa que tem como objetivo colaborar para a eliminação da hanseníase no Brasil, por meio da educação, diagnóstico e tratamento da doença.

Hanseníase

A Hanseníase é uma doença crônica granulomatosa, proveniente de infecção causada pelo Mycobacterium leprae, bacilo descoberto em 1873 pelo médico Amaneur Hansen, na Noruega, e em homenagem ao seu descobridor, o bacilo é também chamado de Bacilo de Hansen.

Em 2012, o Brasil ocupou o 2º lugar do mundo em número absoluto de casos de hanseníase, com cerca de 30.298.000 casos novos detectados a cada ano. O número representa queda de 15% no registro da doença em todo o país entre 2010 e 2011. Em 2010, foram 34.894 novos casos (18,22 por 100 mil habitantes), sendo 2.461 na população menor de 15 anos. Em números absolutos, o Brasil é o segundo país que mais registra novos casos por ano no mundo, atrás apenas da Índia, que tem aproximadamente 150 mil novos casos ao ano.

Em Araguaína, a rede de serviços da Atenção Básica desenvolve ações de busca ativa, diagnóstico, tratamento, acompanhamento e vigilância da hanseníase. De acordo com dados epidemiológicos, atualmente o município araguainense tem 116 casos de hanseníase.