Conexão Tocantins Araguaína

Estado

09/02/2014 - Redação

O Ministério Público do Tocantins (MPE) expediu na última sexta-feira, 7, a Recomendação Administrativa nº 001/2014, que orienta os proprietários do loteamento Lago Sul, localizado em Araguaína, a paralisarem as obras do empreendimento, bem como a comercialização e ocupação dos lotes, até que sejam sanadas as irregularidades ambientais e urbanísticas verificadas no loteamento.

O promotor de Justiça Rodrigo Grisi Nunes destaca que o empreendimento imobiliário cumpriu parcialmente o Termo de Ajustamento de Conduta assinado em abril de 2011, que buscava concretizar obras como pontes, pavimentação, energia, drenagem e saneamento no loteamento.

Após vistorias realizadas em maio e agosto de 2013, o Centro de Apoio Operacional de Urbanismo, Habitação e Meio Ambiente - CAOUMA, do Ministério Público do Tocantins, identificou irregularidades ambientais que motivaram a recomendação aos proprietários do loteamento, além da paralisação das obras e comercialização dos lotes, as seguintes ações:

Elaborar e executar plano de controle e mitigação dos processos erosivos e de assoreamento na área de influência do loteamento;Elaborar novo laudo geológico sobre o comportamento do lençol freático; Readequação do projeto urbanístico e de drenagem, considerando as Áreas de Preservação Permanente (APP); executar projeto de recuperação de áreas degradadas;Executar projeto de esgotamento sanitário na totalidade do empreendimento; implantar obras de drenagem pluvial em conformidade com novo e detalhado estudo geológico-geotécnico a ser elaborado;

Os proprietários do Loteamento Lago Sul têm cinco dias para responder às recomendações. Em caso de omissão, poderá ser proposta Ação Civil Pública. (Ascom MPE)