Conexão Tocantins Araguaína

Polí­tica

30/09/2013 - Redação

Foto: Leyla Mel

O prefeito Ronaldo Dimas (PP) por meio de nota de sua Assessoria de Comunicação confirmou à imprensa que esteve em Brasília juntamente com o deputado federal licenciado, Eduardo Gomes (PSDB) com a corretora investigada  pela Polícia Federal. O encontro ocorreu, segundo a nota, por meio do convite do deputado.

Dimas conta que foi procurado, no intervalo entre a sua eleição e a posse, por diversas corretoras com propostas para aplicação dos recursos do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Araguaína (IMPAR).

De acordo com a nota da Prefeitura, o prefeito e os gestores do IMPAR optaram por aplicar os recursos apenas em fundos administrados por bancos oficiais, como o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal e, no momento, estuda também, a proposta do Banco da Amazônia.

A assessoria de comunicação enfatiza ainda que “não há nenhuma negociação entre a Prefeitura de Araguaína com as corretoras investigadas”.

Segundo a nota “os cerca de R$ 76 milhões de reais que estão depositados no IMPAR e que pertencem aos servidores ativos e inativos de Araguaína estão protegidos e bem administrados e que a dívida das gestões anteriores com o instituto, de aproximadamente R$ 30 milhões, foi parcelada e vem sendo paga rigorosamente em dia”.

Denúncia

Veio a público na manhã desta segunda-feira, 30, a informação de que o deputado federal, licenciado, Eduardo Gomes (PSDB) havia intermediado o encontro entre o prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas e o doleiro de origem libanesa Fayed Antoine Troboulsi, preso na Operação Miqueias deflagrada pela Polícia Federal na última quinta-feira (26).

A organização criminosa, na qual Fayed é acusado de chefiar estaria fraudando fundos de pensão municipais e utilizava mulheres bonitas para seduzir políticos a aderirem ao esquema. A Prefeitura de Araguaína confirmou o encontro entre Dimas e a representante desse grupo, que foi presa em Brasília. A Prefeitura informou apenas que o encontro foi antes da posse, mas não confirmou a data de 14,15 e 16 de outubro de 2012.

A informação é de que a Polícia Federal teria interceptado, com autorização da Justiça, duas ligações que faz em parte do Inquérito Policial, mostrando a tentativa da organização criminosa de seduzir Ronaldo Dimas a aderir ao esquema de fraude em fundos de pensões municipais.

Organização

A organização criminosa teria buscado em 2012 prefeitos recém-eleitos para aplicar na Invista e em troca de algumas vantagens aos gestores.

Conforme o site Araguaína Notícias, O TRF1, ao se referir ao encontro de Ronaldo Dimas com o doleiro Fayed, enfatiza que “alguns diálogos sugerem essa cautela dos servidores públicos em conversar reservadamente com membros da organização criminosa. “A comissão ofertada para os prefeitos variam entre 2% e no máximo 3% do valor total das aplicações”.

Nossa equipe procurou o deputado federal licenciado Eduardo Gomes para tratar sobre o assunto, mas os celulares estavam desligados. (Com informações do site Araguaína Notícias)