Conexão Tocantins Araguaína

Polí­tica

28/06/2013 - Redação

Foto: Divulgação Botelho (C) afirmou que o momento é oportuno para que a sociedade se una para formar um grande pacto pela recuperação econômica do Estado Botelho (C) afirmou que o momento é oportuno para que a sociedade se una para formar um grande pacto pela recuperação econômica do Estado

Ao participar das atividades do Dia do Empresário da Indústria de Araguaína, nesta última quinta-feira, 27, o deputado federal Lázaro Botelho (PP) manifestou preocupação com os dados econômicos do Tocantins.

Botelho afirmou que o momento é oportuno para que a sociedade se una para formar um grande pacto pela recuperação econômica do Estado. "No parlamento, temos lutado por uma melhor distribuição dos tributos que possam permitir que Estados e municípios possam recuperar a capacidade de investimentos. Concordo plenamente com o prefeito [Ronaldo Dimas (PR)] quando afirma que os municípios perderam a capacidade de dar respostas para questões triviais, dependendo sempre do Governo Federal. Isto tem que mudar,” conclamou.

As declarações do deputado se referiam ao trecho do discurso do prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, quando criticou a dimensão da carga tributaria e a distribuição desigual do repasse a Estados e municípios. A maior parte da arrecadação de impostos e tributos vai para a União, e os principais mecanismos de repasse de verba, o Fundo de Participação dos Estados (FPE) e o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), estão tão defasados, defendeu.

Na oportunidade, Dimas anunciou o início das obras de infraestrutura que somam R$ 11 milhões em investimentos; resultado da destinação de emenda parlamentar do deputado Lázaro, da ordem de R milhões e do Senador João Ribeiro (PR), que equivale a R$ 5 milhões.

Dados

No Estado, os investimentos em Infraestrutura caíram de 43% para 9%, de 1998 a 2012. Neste ano, apenas 5% serão investidos no setor. “É uma situação alarmante” defendeu o deputado, ao afirmar que os números, na ocasião, apresentados pelo presidente da Fieto, Roberto Magno Martins Pires, exigem soluções emergenciais para reverter a atual conjuntura econômica.

O balanço apresentado por Pires mostra que o Tocantins tem o 4º menor PIB (Produto Interno Bruto) do país. “O resultado só não é pior, graças aos investimentos feitos pelo Governo Federal, através do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento], pois 60% do nosso PIB foram gerados pelo setor da construção civil. Além disso, o Tocantins figura entre os dez Estados com a maior carga tributaria do país, e isso, sem dúvida, dificulta a atração de novas empresas”, elencou.

O deputado alertou sobre a urgência que se reveste uma reforma no Estado, diminuindo custos da gestão e aumentando a eficiência da maquina publica. "No Tocantins são gerados apenas 9 postos de trabalho por empresa, enquanto a média nacional e de 24” comparou. “Temos que ficar atentos para que o Tocantins não se transforme apenas em um eixo viário. Temos que aproveitar a nossa vocação para o agronegócio para impulsionar as agroindústrias, pois este é o caminho mais rápido de industrializar o nosso Estado. Não deixando o trem, o barco e o caminhão passarem sem que haja a transformação dos produtos aqui no Tocantins, gerando empregos e aquecendo o setor de comércio e de serviços”.

Lázaro Botelho pôs-se à disposição do setor produtivo tocantinense, em especial às políticas que possam impulsionar o desenvolvimento econômico das regiões que padecem de infraestrutura. “Temos que fazer de tudo para atrair empresas e ajudar as que aqui estão a se desenvolverem. Só assim teremos os empregos que os nossos jovens tanto precisam. Não podemos mais ver o nosso povo pedindo favores e dependendo apenas do poder público. Temos que investir na profissionalização e fazer do nosso Estado um grande centro de negócios e desenvolvimento empresarial” concluiu.