Conexão Tocantins Araguaína

Polí­tica

11/04/2013 - Redação

O senador Vicentinho Alves (PR) apresentou, na tarde da última terça-feira, 9, solicitações do Governo do Tocantins ao ministro de saúde, Alexandre Padilha. A reunião de trabalho aconteceu no gabinete do senador José Sarney, em Brasília.

A audiência também contou com as presenças da deputada federal, Nilmar Ruiz; do deputado federal, Eduardo Gomes; do prefeito de Araguaina, Ronaldo Dimas; da secretária estadual de saúde, Vanda Paiva; do secretário municipal de gestão e captação de recursos de Araguaína, Julio César Sampaio e do assessor parlamentar de orçamento, Aguinaldo Ferreira Lima.

Em pauta, o senador entregou um pedido referente à aquisição de tablets para os agentes de saúde agilizarem os processos de geração de informação, trazendo a qualificação no recolhimento de dados para os moldes digitais e que essa estratégia seja estendida por todo o Brasil.

Na ocasião, foi solicitado R$ 60 milhões (sessenta milhões) para o Governo do Tocantins  investir em equipamentos e custeios para pagamentos médicos, equipes de saúde, mutirão de cirurgias, e outros.

Emendas

O senador Vicentinho Alves solicitou liberação de 2 (duas) emendas para Araguaína, sendo R$ 300.000,00 (trezentos mil reais) para a compra de equipamentos para o Hospital Regional Araguaína; R$ 300.000,00 (trezentos mil reais) para construção de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e uma emenda de R$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais) para a conclusão da Unidade Básica de Saúde de Novo Alegre.

Araguaina

Além dos pedidos acima, o ministro da saúde, garantiu ao senador o empenho do Governo Federal em atender as demandas do Tocantins para a implantação de UTI pediátrica no HMA (projeto Topama) e aquisição de 08 (oito) equipamentos odontológicos.

Porto Nacional

O senador pediu prioridade na liberação do recurso para a construção do Hospital Municipal de Porto Nacional, no valor de R$ 41.037.453,00 (quarenta e um milhões e trinta e sete mil e quatrocentos e cinquenta e três reais.)

Localizada estrategicamente na região central do Estado, às margens do lago formado pela Usina Hidrelétrica de Lajeado, no Rio Tocantins, Porto Nacional exerce influência sobre 16 microrregiões, a saber, os municípios de Monte do Carmo; Silvanópolis; Brejinho de Nazaré; Natividade; Chapada da Natividade; Ipueiras; Fátima; Oliveira de Fátima; Pindorama; Mateiros; Porto Alegre do Tocantins; Santa Rosa; Dianópolis; Ponte Alta do Tocantins; Almas e Combinado. Somadas, as populações de todos esses municípios mais a de Porto Nacional totalizam mais de 150 mil habitantes.

Atualmente, para atender toda a população, a rede de unidades de saúde de Porto Nacional é formada por 14 Unidades Básicas de Saúde e 2 (duas) Unidades Especializadas do governo estadual. Essas unidades são insuficientes, pois a necessidade é de pelo menos 20 unidades, devido a quantidade de população assistida.

São realizados 4.631 atendimentos nas unidades de Saúde Urbana, 2.800 atendimentos no Hospital Materno Infantil Tia Dedé e 4.300 atendimentos no Hospital de Referencia de Porto Nacional. A quantidades de leitos existentes nas 2 (duas) unidades especializadas somam 121, quantidade bem inferior à demanda que não para de crescer. A carência de leitos no Hospital Regional é de 120 leitos e na Maternidade Tia Dedé é de 100 leitos.

O diagnóstico da situação da saúde em Porto Nacional demonstra a necessidade de ampliar as especialidades hoje existentes para disponibilizar atendimento também para psiquiatria; cardiologia; hematologia; pneumologia e médico radiologista; dentre outras que hoje o município não possui.

O Hospital Municipal de Porto Nacional poderá ser também um importante instrumento para consolidar e aumentar a oferta de cursos na área da saúde atualmente existentes no município, como Medicina, Enfermagem e Odontologia, uma vez que o hospital poderá ser utilizado como escola para incentivar a pesquisa e a formação dos futuros profissionais de saúde. (Assessoria de Imprensa)