Conexão Tocantins Araguaína

Polí­tica

19/02/2013 - Redação

Foto: Divulgação

Mais uma vez os deputados petistas José Roberto Forzani e Amália Santana foram à Secretaria Estadual de Segurança Pública para cobrar agilidade na conclusão do inquérito sobre a morte do professor Fabriciano Correia Borges, assassinado em 8 de novembro de 2012. Os parlamentares participaram na tarde desta terça-feira, 19, de uma reunião com o secretário Executivo da Secretaria Estadual de Segurança Pública, Fernando Ubaldo Barbosa.

De acordo com o deputado Zé Roberto, o secretário executivo garantiu que a equipe está atuando com empenho na investigação do assassinato. "O secretário informou que o atraso se deve às linhas de investigação que foram mudadas e com isso acaba demandando mais tempo para elucidação do caso".

Está já é a segunda reunião dos deputados com representantes da SSP para tratar do assunto, a primeira aconteceu em dezembro do ano passado. "Nós somos solidários à dor da família, dos amigos e de todos que conviveram com o companheiro Fabriciano, que era um homem de luta e compromissado com a causa dos trabalhadores, é por este motivo que queremos o quanto antes que os culpados por este crime sejam punidos", reforçou Zé Roberto.

Assassinato

Fabriciano Correia Borges, tinha 39 anos e foi encontrado morto em sua residência no dia 8 de novembro, em Araguaína. Natural de Floriano (PI), Fabriciano era professor das redes pública municipal e estadual, diretor de Saúde do Trabalhador do SINTET central, presidente do SINTET Regional de Araguaína, conselheiro municipal da Educação de Araguaína, diretor da UNCME- União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação, conselheiro do FUNDEB e membro da Executiva Municipal e Estadual do Partido dos Trabalhadores.