Conexão Tocantins Araguaína

Estado

13/11/2012 - Redação

Foto: Daniel Machado

O Governo do Estado lançou, nesta terça-feira, 13, em Araguaína, uma força-tarefa de segurança com o objetivo de reduzir a criminalidade na região Norte do Estado. A ação é realizada pela Polícia Militar, em conjunto com a Polícia Civil e com a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos e ocorre por uma determinação do governador Siqueira Campos.

Em entrevista coletiva na sede do 2º Batalhão de Polícia Militar, localizado em Araguaina, o comandante da PM do Tocantins, coronel Luiz Cláudio Benício, destacou que a força-tarefa vai se concentrar no aumento da fiscalização, blitze e policiamento ostensivo. Também participaram da entrevista o secretário-executivo de Segurança Pública, Fernando Ubaldo, o superintendente do Sistema Prisional, Walderi Francisco de Carvalho, e o chefe de Polícia do Tocantins, José Eliú Jurubeba.

O comandante da PM afirmou que o assassinato do jovem Jhonatan Silva Santos, 18 anos, no Hospital Regional de Araguaina (HRA) embora seja um fato isolado, é grave e preocupa o Estado. O crime ocorreu nesta última segunda-feira, 12, por volta de 20h.

Como uma das providências, a Polícia Militar intensificará o contato com o hospital, bem como a disponibilização de policiamento quanto necessário. Assim, sempre que o hospital considerar necessário, policiais militares de Araguaina estarão de prontidão no local. O comandante ressaltou ainda que irá tomar providências para aumentar o número de viaturas em Araguaina.

Comunidade

Na coletiva, coronel Benício pediu o apoio da população nas ações de policiamento. De acordo com o comandante, segurança pública não se faz apenas com a participação da PM e da Polícia Civil, mas com o envolvimento dos moradores. "A população pode nos ajudar repassando informação. Tem o 190, que não é necessário se identificar, além do contato direto com os policiais", ressaltou.

Investigação

O secretário-executivo da SSP Fernando Ubaldo anunciou que já foi composto um grupo para comandar o inquérito que vai investigar o assassinato no hospital. Segundo ele, a investigação do fato será prioridade. Inicialmente, informações dos investigadores dão conta que o jovem era ligado ao tráfico de drogas, inclusive já tendo sido apreendido quando era menor de idade. (Ascom SRI)