Conexão Tocantins Araguaína

Meio Ambiente

10/02/2012 - Redação

Foto: Wilson Rodrigues

O Grupo Sky Solar, que tem sede em Madrid, na Espanha, composto por empresas chinesas, anunciou, nesta sexta-feira, 10, ao governador Siqueira Campos que irá construir, no município de Porto Nacional, um parque fotovoltaico para geração de energia limpa. O empreendimento iniciará a operação com 48 MW de energia solar, suficiente para abastecer uma cidade do porte de Araguaina, por exemplo.

O parque em Porto Nacional será o projeto piloto do grupo, que tem larga experiência no setor de geração de energia limpa. Outros dez projetos estão previstos para o Tocantins, sendo que os empresários estão identificando as áreas para instalação dos parques.

O grupo já formalizou pedido ao Naturatins para obter licença de funcionamento. O prazo para o início do empreendimento dependerá ainda de formalidades junto à Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica.

Por outro lado, o Governo do Estado já tomou as providências necessárias para a análise do projeto junto ao Naturatins e à Subsecretaria de da Produção de Energias Limpas, da Secretaria Estadual da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário.

“Nós apoiamos os projetos que promovam o desenvolvimento do Estado e tragam benefícios para a população. Uma das necessidades é a inclusão no setor produtivo. Nossa luta é contra a miséria, a fome, que não fazem sentido num Estado de tantas potencialidades”, disse o governador, acrescentando que a geração de energia solar não é poluente e possui custos mais baixos, sendo ideal para o Tocantins.

Os empresários explicaram que um parque como o que será instalado no Tocantins, de geração de 48 MW de energia limpa, é maior que as usinas hidrelétricas chamadas de PCHs – Pequenas Centrais Hidrelétricas. “Nosso trabalho é gerar energia limpa e garantir a distribuição com baixo custo. Nós fazemos a transformação da energia limpa e fabricamos os componentes para garantir esta geração. O Tocantins é excelente localidade para a expansão do nosso empreendimento”, disse Ignacio San Roque, diretor técnico da empresa Sum Premier. (Assegov)