Conexão Tocantins Araguaína

Polí­cia

03/11/2011 - Redação

Foto: Divulgação

A equipe de Policiais Civis, da 1ª Delegacia Regional, localizada em Araguaina, está investigando o desaparecimento de Edmar Teixeira Guimarães, 57 anos. O sumiço se deu no dia 20 de agosto, em Filadélfia, região Norte, no médio Tocantins, limite com o Maranhão, a 479 km de Palmas. A Polícia Civil acredita estar próximo da elucidação do caso.

Edmar foi visto pela última vez na Praça Pública de Filadélfia, por volta das 9h30, aguardando uma van para retornar a sua residência, localizada na cidade de Wanderlândia, também situada na Região Norte do Estado. A distância entre as duas cidades é de aproximadamente 150 Km.

Investigações

De acordo com o delegado titular da 1ª DRPC, e responsável pelo inquérito, Rérisson Macêdo, a vítima não foi mais vista, tampouco retornou a sua residência. No mesmo dia do desaparecimento uma bolsa, com os objetos pessoais de Edmar, foi localizada à margem da TO-222, há cerca de 12 km de Araguaina, contendo algumas roupas, objetos de uso pessoal, documentos, dois chips que estavam sendo usados em seu aparelho celular. Entretanto não foram localizados os aparelhos, nem a quantia de R$ 160,00.

“Após familiares terem comunicado o fato, a Polícia Civil vem trabalhando no caso. As investigações avançaram significativamente, tendo sido descartada qualquer possibilidade de sequestro. Outras hipóteses foram levantadas, como a possível prática de latrocínio com ocultação de cadáver, como sendo a mais provável ao caso”, acrescentou o delegado.

Ainda segundo o delegado, a Polícia Civil acredita estar próxima da elucidação do caso, inclusive, está de viagem marcada para o próximo domingo, acompanhado de sua equipe, a outra unidade da Federação, onde empreenderá diligências, a fim de efetivar o cumprimento a ordens de prisão e busca e apreensão, que estão em seu poder, as quais poderão contribuir de forma significativa para o esclarecimento de todo o mistério que cerca o caso.

Apoio à Operação

O delegado acrescentou que a Polícia Civil vem contando com o apoio do Judiciário e do Ministério Público da Comarca de Filadélfia, que tem deferido todos os pedidos formulados, bem como, com o apoio de toda a equipe que compõe a Diretoria de Inteligência da Polícia Civil, em especial os que trabalham no Guardião.

“Vale ressaltar, que nos objetos localizados e devidamente periciados, não há sinais de violência, e até o momento, nenhum corpo foi encontrado. O Secretário de Segurança Pública, João Coelho tem acompanhado os trabalhos da equipe, e fornecido todo apoio necessário para a execução dos trabalhos”, concluiu Rérisson. (Ascom SSP)