Conexão Tocantins Araguaína

Estado

24/02/2011 - Redação

Foto: Luciano Ribeiro

As obras de recuperação da pista do Aeroporto de Araguaina terão início somente em abril, com o fim das chuvas. A decisão visa garantir a segurança durante os procedimentos de pousos, decolagens e estacionamentos dos aviões, bem como maximizar o andamento da obra que foi acertada na quarta-feira, dia 23, em reunião do secretário da Infraestrutura, Alexandre Ubaldo, com representantes da Prefeitura de Araguaina, das empresas aéreas que operam naquele aeroporto – Trip, Passaredo e Sete, e da empresa executora da obra.

A expectativa é que os trabalhos comecem no próximo mês de abril, quando a pista será parcialmente interditada para recuperação, primeiramente, da cabeceira 60 (lado oposto à BR 153). Com este lado pronto, as máquinas serão direcionadas para outra cabeceira, a 09, e, por último serão feitas as obras do eixo central. “A ideia é deixar o aeroporto funcionando durante as obras, mas sem comprometer o segurança dos voos”, diz o secretário Alexandre Ubaldo.

Outras reuniões entre os interessados devem acontecer no decorrer de toda a obra. A autorização final para o início das obras será dada pela Anac.

Com investimentos da ordem de R$ 11 milhões, a reforma do aeroporto é fruto de um convênio entre os governos Federal, que contribui com, aproximadamente, R$ 9,5 milhões e Estadual, que arca com R$ 1,5 milhões, como contrapartida.

Os trabalhos planejados para melhorar as operações e garantir maior segurança em todos os procedimentos no aeroporto compreendem: recuperação dos 1.800 metros da pista de pouso/decolagem, pista de taxiamento e pátio de aeronaves; implantação de um pátio de armação geral e pistas de acessos, todas com as devidas sinalizações. Também será reformado o terminal de passageiros - cujas obras já começaram, visando deixar o espaço mais confortável para os usuários, com lanchonete, duas salas comerciais, sala vip, salas de embarque e desembarque, além de salas para a administração do aeroporto, Vigilância Sanitária e Polícia Federal.

Fonte: Secom