Conexão Tocantins Araguaína

Polí­tica

02/10/2010 - Redação

Foto: Divulgação

Cerca de 600 militares do Exército se deslocaram nesta sexta-feira, 2, para os municípios de Araguaina, Gurupi, Colinas do Tocantins, Goiatins, Paraíso do Tocantins, Porto Nacional, Tocantínia, Itacajá, Miracema, além de Palmas. A finalidade é garantir a segurança da votação e apuração das eleições nestas localidades.

O deslocamento foi acompanhado pelo Presidente do TRE-TO, Desembargador Moura Filho, e pelo Diretor Geral do Tribunal, Dr. Luciano Rodrigues. A medida atende a uma solicitação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-TO), cuja decisão foi aprovada por unanimidade pelo Pleno do Tribunal, com o intuito de garantir ao cidadão a certeza de que o processo eleitoral ocorrerá de forma isenta e imparcial.

O Exército atuará nos municípios com mais de 20 mil eleitores, além de Miracema e Xambioá. Já Goiatins, Tocantínia e Itacajá, contarão com as tropas federais a fim de garantir a segurança dos indígenas que habitam em aldeias próximas a essas regiões.

Segundo o Comandante do 22º Batalhão, Tenente Coronel Martin, o Exército atuará dentro de um quadro de normalidade, em consonância com a legalidade e em ação conjunta das Forças Auxiliares e Federais (Polícias Civil e Militar, Justiça Eleitoral e Polícia Federal). "Tudo será feito com o intuito de apoiar o trabalho da Justiça Eleitoral", explicou o Comandante.

Em atendimento à solicitação do TRE, a 3ª Brigada de Infantaria Motorizada, com sede em Goiás, determinou que militares do Batalhão de Polícia do Exército, com sede em Brasília (DF), também integrassem o efetivo do Exército que atuará no Tocantins. Assim o efetivo a ser empregado é formado por 400 militares do 22º Batalhão de Infantaria (Palmas) e 200 do Batalhão de Polícia do Exército de Brasília.

ara essa missão, os militares receberam instruções sobre procedimentos da Justiça Eleitoral, com o Juiz Federal Marcelo Albernaz; instruções de regras de engajamento com Oficiais do Exército; reuniões com a Agência Brasileira de Inteligência, com a Polícia Federal, com juízes eleitorais e com a alta administração do Tribunal Regional Eleitoral.

Fonte – Assessoria de Imprensa/TRE