Conexão Tocantins Araguaína

Geral

18/01/2010 - Redação

Foto: Divulgação

O secretário da Educação e Cultura e senador licenciado Leomar Quintanilha, deu sequência no sábado, 16, em Araguaina, às reuniões com os gestores de escolas das Diretorias Regionais de Ensino (DRE’s), iniciadas esta semana. Questionado, entre outras questões, sobre o aumento salarial, garantiu que o reajuste sairá em breve, sem precisar a data.

Quintanilha anunciou também, que, com 76 unidades estaduais, a maior regional da Seduc agora tem Márcia Scudero como ouvidora. A decisão do secretário de descentralizar a Ouvidoria, comandada por Cristiane Bazzo, deve-se, entre outros fatores, ao fato de servidores e a comunidade necessitarem de um departamento que também pudesse lhe prestar informações, além de apurar denúncias de possíveis irregularidades que lhe eram enviadas. “Com uma representante em cada DRE, agora a Ouvidoria está mais perto dos servidores e da população”, avalia Leomar Quintanilha.

Sobre a Pasta que administra, destacou, mais uma vez, que “a educação é um processo que envolve toda a sociedade, mas, também, os pais” que não podem, simplesmente, deixar os filhos na escola. “A família tem de acompanhar o trabalho dos professores e diretores e o aproveitamento dos seus filhos”.

Quintanilha informou que, para atingir a meta da excelência na Educação, precisa valorizar os profissionais, dando-lhes, não apenas aumento, mas garantindo apoio para que mantenham a disciplina em sala de aula. Materialmente, a intenção da Seduc é equipar as escolas com lousas digitais, computadores e outras tecnologias modernas que possam despertar e manter a atenção dos estudantes.

Além disso, Quintanilha pretende com apoio do governador Carlos Henrique Gaguim, transformar todas as escolas em unidades de tempo integral. “Vamos avaliar, dentro do Orçamento, quantas podemos modificar por ano. Vamos abranger todas. Esta é uma meta de governo.”

Em seguida, disse que equipes da Seduc estão visitando, pessoalmente, todas as unidades. “Precisamos conhecer os problemas para estabelecer as prioridades”, afirmou.

 

Fonte: Ascom Seduc